Archive

janeiro 2019

Browsing

 

Uma das nossas metas para 2019 é ser mais sustentável. E tem várias coisas que podemos fazer no dia a dia para mudar alguns hábitos e reduzir os impactos negativos ao meio ambiente.
Confira as dicas:
1 – Toalha de pano
Leve sempre com você uma toalhinha de pano para deixar de utilizar guardanapos de papel ou papel toalha.
2 – Ecobags
Dentro da sua bolsa, sempre deixe uma ou mais ecobags para você evitar de usar sacolas plásticas. Se você tem carro, deixe sempre no carro também para usar no mercado, em lojas, farmácias, etc.
3 – Utilize caixas
No mercado, você também pode usar caixas de papelão para levar a compra para casa.
4 – Tomadas desligadas
Não deixe aparelhos que você não está utilizando ligados na tomada. Assim você economiza energia e ajuda o meio ambiente.
5 – Bucha vegetal para louça
Para lavar as suas louças, utilize a bucha vegetal. Muitas pessoas já a utilizam pra tomar banho, mas ela pode ser utilizada para lavar louça também. Como é biodegradável, é um produto sustentável.
6 – Embalagens retornáveis ou refil
Busque produtos que tenham como alternativa embalagens retornáveis ou refil, para evitar mais lixo.
7 – Leve seu copo, sua garrafa
Tenha com você sempre um copo ou uma garrafa pra levar pra todo lugar. Assim você evita utilizar copos descartáveis.
8 – Canudo sustentável
Utilize o canudo sustentável ao invés do canudo de plástico. Tenha com você sempre na bolsa. Uma opção é o nosso canudo sustentável de aço inox que você encontra neste link: https://www.elo7.com.br/lojadesavesso
Para mais dicas de moda e sustentabilidade, inscreva-se no canal Desavesso no YouTube.

Hoje, 28/01, é o dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo, e nós do Desavesso viemos lembrar porque  é importante prestar atenção antes de comprar alguma peça de roupa, e o que você pode fazer para não contribuir com esse tipo de triste realidade que ainda hoje acontece.   

Com a terceirização e quarteirização do serviço de costura de grandes magazines para oficinas menores, nem sempre há o monitoramento das situações em que as roupas são produzidas e as condições que os trabalhadores são submetidos. Não por acaso diversas marcas aqui no Brasil e fora já tiveram oficinas descobertas onde os trabalhadores viviam em condições degradantes e em alguns casos recebiam pela produção de uma peça um pagamento 139 vezes menor do que o valor que o produto seria vendido.

Nunca é demais buscar informação sobre as marcas e grifes que você consome, dar um Google no nome da marca, procurar os relatórios nos sites, e também no site do Ministério Público e verificar se há alguma denúncia ou investigação contra ela, isso é   fundamental pra quem quer fazer um consumo consciente. E se o nome da sua marca favorita  estiver envolvido em alguma investigação é hora de repensar sobre ela.

Algumas ferramentas podem ser usadas na seleção de marcas confiáveis. O aplicativo Moda Livre, criado pela ONG Repórter Brasil, mostra o grau de responsabilidade de 131 marcas nacionais e importadas, e está disponível para iOS e Android. Outro documento importante é o Índice de Transparência do Fashion Revolution Brasil, que reúne informações sobre 20 marcas brasileiras, disponível nesse link: http://bit.ly/baixeoindicebr.     

No ano passado nós do Desavesso fomos convidadas para participar de uma ação do Ministério Público do Trabalho , o somoslivres.org, de combate ao trabalho escravo na indústria da moda. Conhecemos mais sobre o tema e ficamos super felizes de ver que muitas pessoas e entidades estão envolvidas nessa causa, porém percebemos que ainda há muito o que fazer especialmente nós consumidores. Fizemos um vídeo falando sobre esse tema com dicas especiais, e você pode ver a seguir: https://youtu.be/eqSzr_Y7E74


Para se tornar um aliado na luta contra o trabalho escravo no mundo da moda acesse
www.youtube.com/desavesso e torne-se um consumidor mais consciente você também!

Recentemente o jornal britânico The Guardian noticiou que as camisetas produzidas pelo grupo musical Spice Girls com o objetivo de arrecadar fundos para uma instituição que promove a igualdade dos gêneros e o empoderamento feminino estava sendo produzida em uma fábrica em Bangladesh onde as mulheres eram forçadas a trabalhar por mais de 16 horas por dia e ainda sofriam diversos abusos pelos chefes e coordenadores.   

O que impressiona é que esse é apenas mais um fato em que o empoderamento é vendido como algo super cool sendo que os envolvidos em promover essa venda não estão comprometidos com seus deveres e responsabilidades com os trabalhadores da fábrica que produz as roupas.

Quem nunca se apaixonou por uma camiseta escrita “GRL POWER” com uma florzinha do lado, mas não investigou nem como a peça foi produzida e principalmente se a empresa tem uma política de equiparação salarial para as trabalhadoras, ao menos? Muitas dessas informações podem ser encontradas nos sites e relatórios das empresas.

É muito bonito vestir a camiseta de uma causa, mas mais bonito ainda é trabalhar para que os direitos sejam efetivos. Busque informação das marcas que você consome, agora as Spice Girls terão que fazer isso.  

A seguir tem um vídeo em que mostramos uma pesquisa do Fashion Revolution Brasil que traz informações muito importantes sobre as marcas brasileiras. Assista e confira como investigar se as marcas que você consome são responsáveis. 

Já ouviu falar nos canudos sustentáveis? Nós, do Desavesso, temos os canudos sustentáveis de aço inox. Eles podem ser reutilizados, são de uso pessoal e você pode levar para onde for. Com ele, você reduz o consumo de canudos de plástico, que são vilões do meio ambiente.
Já falamos sobre esse problema ambiental neste post aqui.
O kit de canudo sustentável é composto por: 1 canudo, 1 buchinha pra limpar e 1 capinha para guardar. Todos os processos de produção são sustentáveis, com descarte correto de materiais, a buchinha é feita com bucha natural e biodegradável e as capinhas são feitas com tecidos de bancos de tecidos, dando um novo significado para tecidos que não serviam mais para fazer outras peças de roupa.
Assista ao vídeo para saber mais sobre os canudos. Você pode adquirir o kit através desse link: https://www.elo7.com.br/lojadesavesso. Qualquer dúvida você também pode falar conosco pelas redes sociais (@desavesso) ou por e-mail: [email protected].

 

#10yearschallenge – esse é o desafio do momento, onde as pessoas estão postando fotos de como elas eram há 10 anos. Resolvemos participar do desafio também, mas para mostrar uma triste realidade que envolve o meio ambiente.

Veja a imagem acima. Sim, isso pode acontecer com um canudinho de plástico que você usa por 3 minutos, 10 anos depois ele pode causar isso a um animal. E pior, depois de 200 anos, sim, DUZENTOS ANOS, ele ainda estaria se decompondo e causando danos.
.
O canudo representa 4% de todo lixo plástico. Além de causar danos físicos a animais, o plástico, quando nos oceanos, pode liberar elementos químicos, que são cancerígenos e podem causar distúrbios hormonais. Um estudo concluído recentemente descobriu ainda que o lixo plástico pode aumentar a imunidade de corais a doenças, causando sérios danos!
.
Repense o uso dos canudos plásticos. Pense no meio ambiente. O canudo é só um exemplo, mas o plástico é um vilão que cabe a nós combater, pensando em alternativas de consumo.
(Dados: EBC e Época)

Novidade sustentável que gera impactos positivo para a natureza e os animais. Neste ano, O Boticário passará a identificar em todos os seus pontos de comunicação quais dos seus produtos já são veganos. Maquiagem, que conta com as linhas Make B. e Intense, já tem 30% do portfólio da categoria com itens sem nenhuma matéria-prima de origem animal.
A iniciativa atende à demanda cada vez mais frequente de consumidores que desejam saber que também podem contar com esse tipo de produto dentro de sua marca preferida.
O selo de identificação dos produtos veganos do Grupo Boticário é proprietário e, para sinalizar e categorizar o que são cosméticos veganos, a empresa seguiu o padrão estabelecido pelas certificadoras.
“Estamos em um movimento crescente de substituição de matérias-primas de origem animal para vegetal, mineral, biotecnológica ou sintética – sempre mantendo o foco na qualidade, performance, estabilidade, segurança e eficácia dos produtos”, afirma o diretor de Marketing do Boticário, Alexandre Bouza.
A busca da marca por essas alternativas não é recente. Há quase 20 anos, o Grupo Boticário não realiza teste em animais e foi a primeira empresa brasileira a desenvolver a pele 3D e os organs-on-chip para simular as condições de uso em órgãos humanos.
“O Boticário já contava com produtos veganos em seu portfólio – o que estamos fazendo é dando mais clareza para a comunicação com o consumidor. Loja, catálogo, e-commerce, todos os pontos serão fontes de informação para quem quiser escolher produtos veganos do Boticário”, finaliza Bouza.

EDIT: O Varal das Mina foi cancelado e em breve avisaremos sobre a nova data do evento.

O Desavesso participa neste domingo do evento ‘Varal das Mina’ ao lado de outras produtoras locais, brechós e artesãs que expõem e vendem seus produtos das 10h às 18h deste domingo, 13. O evento acontece ao lado do Restaurante Popular, no centro de Ponta Grossa. A entrada é gratuita.

O stand do Desavesso terá roupas de desapego e garimpo das jornalistas e YouTubers Maria Fernanda Teixeira e Nicoly França. Além disso, os canudos sustentáveis também estarão à venda. “Esse tipo de evento faz com que a gente traga para o mundo offline a oportunidade das pessoas praticarem uma moda mais consciente e sustentável, com a compra de segunda mão, além de oferecer os nossos produtos sustentáveis, os canudos, à população de PG”, afirma Nicoly.

O evento está na 11ª edição, é independente, coletivo e organizado por mulheres de Ponta Grossa para incentivar o consumo consciente. Essa é a edição de verão e conta com mais de 35 expositoras. As organizadoras sugerem que quem for ao evento leve a sua própria sacola, para que todos pratiquem a sustentabilidade e ajudem o meio ambiente.

Além dos stands, haverá uma oficina de malabarismo com o artista Paulo Netto a partir das 14h. A atividade é gratuita e aberta ao público.

Peças, formatos e cores da estação, ou da temporada nem sempre são dignos de ser desconsiderados da moda sustentável. Nós temos que ter em mente que esses fatores inclusive podem nos ajudar, contanto que não sejam nossa prioridade na hora de nos vestirmos. O fato é que se forem esquemas prontos nos quais tentemos nos encaixar serão um problema mas se forem apenas um item norteador de nossas escolhas podem ser  grandes aliados.
Use referências: No dia que estamos sem ideias de roupa procurar na internet fotos de pessoas famosas ou fashionistas usando as peças tendências pode aumentar nosso leque de possibilidades para construir um look.
Não comprar e sim vasculhar: Assim que a peça ou a cor for indicada como o “grito” da estação não faz sentido sair correndo na magazine mais próxima comprar, mas sim é interessante vasculhar no guarda-roupa e de pessoas próximas algo parecido ou que possa ser customizado pra lembrar o look.
Selecione: Veja bem a qual “moda” você vai se render, não são todas que se encaixam no seu estilo de vida e de humor. Entenda porque motivo você gostaria de usar algo e aí sim invista nela.
Temos um vídeo em que mostramos looks com tendências que montamos apenas com roupas de um bazar beneficente, vem ver!

Para mais informações sobre moda e sustentabilidade acesse o Desavesso no Youtube!

Ser mais sustentável e consciente está nos nossos planos para 2019. Então listamos algumas metas relacionadas a isso e esperamos inspirar vocês também a terem esses hábitos mais sustentáveis.
Reduzir a quantidade de lixo
Isso significa produzir o mínimo de lixo possível. Uma dica para conseguir essa tarefa é ler o livro: Uma vida sem lixo, da Cristal Muniz, que está me ajudando muito nesse desafio.
Conhecer mais marcas sustentáveis
Uma meta é ir atrás de mais marcas sustentáveis, produtores locais, marcas de slow fashion e produção justa para consumir de forma mais consciente.
Coletor menstrual
Usar o coletor menstrual reduz muito a quantidade de absorventes descartados. Então vale a pena experimentar e tentar uma adaptação.
Usar mais cosméticos sustentáveis, orgânicos e naturais
Há diversas marcas alternativas no mercado que se preocupam com essas questões.
Parar de usar sacolas plásticas no mercado
Mesmo que na sua cidade não haja esse incentivo, tem que partir de nós esse hábito. Uma dica é sempre deixar as ecobags dentro da sua bolsa para não esquecer.
Para mais dicas sobre consumo consciente e sustentável, inscreva-se no canal Desavesso no YouTube!