Archive

setembro 2018

Browsing

É possível montar looks extremamente estilosos em brechó. E nós separamos algumas dicas para você compor os visuais com peças de segunda mão.

A primeira dica é que você explore acessórios. Pegue alguns acessórios e tente encaixar no seu look. A ideia é usar um acessório para deixar o look mais alternativo e estiloso e brechó é um ótimo lugar para achar acessórios diferentes.

Também procure por cores e estampas que você já goste. Assim é uma maneira mais fácil para que você se identifique com as peças e monte um look legal!

Outra dica é que você pegue uma peça que esteja em alta e tente usar, pois é uma referência legal para explorar, mesmo que você nunca tenha usado algo assim, não deixe de tentar novas maneiras de se vestir. E adapte essa tendência ao seu estilo.

Você pode também pegar uma peça que você tenha achado bonita, mas talvez não tenha coragem de usar e fazer uma composição diferente. Mas não deixe de optar por novas maneiras de criar um look.

Os looks foram feitos no brechó Bonnie e Clyde, em São Paulo.

Para mais conteúdo sobre moda consciente e sustentável, acesse o Desavesso no YouTube.

Tem muitas marcas que são sustentáveis e que amamos, e além de serem sustentáveis tem peças muito bonitas. Muitas pessoas associam moda sustentável apenas a algo reciclado, artesanal, mas o conceito é muito maior. Todas as marcas que serão citadas são brasileiras.

Uhnika

O design das roupas é incrível. São peças sustentáveis, confecção própria. Já conhecemos o espaço onde as roupas são feitas e é muito legal pois eles realmente se importam como a peça será criada e há o conceito de resíduo zero, onde nada é jogado fora. Além de ter uma ótima qualidade e durabilidade, com o conceito de slow fashion (oposto de fast fashion).

Site: https://www.uhnika.com.br/

Flávia Freitas

Também é uma marca slow fashion, com peças atemporais, incríveis e de uma qualidade ótima. Tem uma variedade de camisetas, bandanas e também as ecobags. Algo bem legal de citar é que há peças que não têm gênero, são unissex, veganas. A marca reutiliza matéria-prima.

Site: https://www.shopflaviafreitas.com.br/

Moksha

Eles utilizam algodão orgânico nas composições, o processo de tingimento deles não é agressivo no meio ambiente. Também tem o processo social de que eles dão oportunidades pra ex detentos, para fazer a ressocialização dessas pessoas na sociedade. Uma parte do lucro que eles recebem vai para instituições de caridade.

Site: https://vistamoksha.com/

Econtexto

São produzidas camisetas, ecobags, alguns produtos de decoração, etc. E é muito legal pois eles utilizam materiais reciclados ou sustentáveis. É uma marca de Curitiba.

Site: http://www.econtexto.com/

Puta Peita

É uma marca de Curitiba, são peças empoderadoras. As camisetas são feitas 100% de algodão e têm várias frases empoderadoras para você se sentir incrível! Tem peças infantis também.

Site: https://peita.me/

É muito importante saber de onde vêm e como são produzidas as peças que você veste.

Para mais conteúdo sobre moda consciente e sustentável, acesse o Desavesso no YouTube:

Há algum tempo fizemos uma Feira de Trocas na Escola Estadual Padre José de Anchieta, em Apucarana, em parceria com a equipe pedagógica da escola. O resultado foi incrível. Cerca de 80 peças trocadas pelos alunos do Ensino Médio e vários alunos impactados. As professoras gostaram tanto da ideia que depois de um tempo também fizeram uma feira de trocas entre elas. O vídeo com o resultado dessa experiência está aqui:

Agora tivemos a feliz notícia que inspirada na atividade que realizamos a professora Catarina Cava Freira, da Escola E.E. Padre Bruno Ricco em Guarulhos, na Grande São Paulo, realizou a Expô Sustentável na escola com os alunos do 6º e 8º ano. Além de várias atividades que envolviam a customização de roupas, reflexão sobre consumo sustentável a professora também organizou uma feira de trocas e nos contou que os alunos foram super participativos.

É muito lindo ver a nossa mensagem impactando o local onde ideias são criadas e novos líderes e profissionais do futuro são formados. sabemos que estamos no caminho certo quando os mestres, responsáveis pro criar a sociedade que será responsável por transformar o mundo daqui alguns anos se inspiram no que falamos para propagar uma mensagem tão nobre quanto a sustentabilidade.

Parabéns a todos os educadores que se abrem para fazer esse trabalho, estamos à disposição pra ajudar a fazer mais atividades nesse sentido!

Iniciativas dentro e fora do Brasil buscam alternativas para reaproveitar resíduos plásticos no mercado da moda.

O problema dos plásticos no oceano é grande e aumenta cada ano que passa. Segundo um estudo liderado pela Universidade da Georgia nos Estados Unidos estima-se que 8 milhões de toneladas desse material vai parar nos mares todos os anos por conta de descartes incorretos e ainda pela liberação de microplásticos, partículas de até 5 milímetros, presentes em alguns cosméticos e tecidos sintéticos, que poluem as águas e afetam todo o ecossistema.

Iniciativas do mundo da moda promovem a retirada desse produto do mar para usar como matéria prima na produção de roupas. A Adidas deu início em 2017 a uma linha de tênis produzida a partir de plásticos retirados dos oceanos em parceria com a ONG Parley For the Oceans, que já estava envolvida com a causa.

A princípio o tênis Ultraboost X Parley seria uma edição especial, mas se tornou um sucesso de vendas da marca, que atingiu mais de 1 milhão de pares vendidos até o final do primeiro ano de lançamento, e hoje é oferecido em três diferentes modelos. Para a produção de cada par são utilizados aproximadamente 11 garrafas. É só fazer as contas.

No Brasil a marca Osklen também trabalha com a produção de roupas confeccionadas com reutilização de materiais que foram descartados. A grife é uma das pioneiras em território nacional a fazer as pesquisas voltadas para esse setor.

Com o manifesto ASAP, as sustainable as possible, as soon as possible (quanto mais sustentável o mais rápido possível), que também é o nome da coleção de inverno 2018 a marca lança mão de ações com o objetivo de reverter pelo menos um pouco os impactos ambientais negativos gerados pela indústria da moda por tantos anos.

As camisetas são confeccionadas com algodão 100% orgânico e certificado, e várias peças produzidas com a malha pet, que promoveu a reciclagem de mais de 270.000 garrafas plásticas do meio ambiente para sua produção, cerca de 1,9 toneladas.

Cientistas do Reino Unido produziram o relatório Foresight Future of the Sea, que estimou o aumento de três vezes da quantidade de plásticos que existem hoje até 2025. Eles orientam que haja controle da produção dos insumos que uitilizam material plástico na sua composição e ainda alertam para campanhas de conscientização sobre a vida marinha e cuidados para mantê-la viva.

Mas para os cientistas as soluções podem ir ainda mais além interferindo nos nossos hábitos individuais sem ter que esperar por nada que venha dos órgãos públicos. Eles orientam para a mudança de hábitos diários, como por exemplo aumentar o uso de materiais biodegradáveis em lugar de utensílios produzidos com insumos fósseis de difícil decomposição. Outra orientação é de diminuir o uso de itens de plástico no dia a dia, segundo eles um único item já interfere em toda a cadeia de decomposição

Produtos sustentáveis do Desavesso

O que resta para nós, meros mortais fazer, portanto, é investigar o processo de produção dos produtos que consumimos, buscar informações sobre a liberação de microplásticos dos mesmos e principalmente reduzir o consumo de pelo menos um item de plástico da nossa rotina. Um exemplo usar sacolas, garrafas, copos e canudos reutilizáveis ou invés dos descartáveis, que são geralmente feitos de plástico.

O canal Desavesso promove essa conscientização por meio da oferta de produtos sustentáveis sem plástico e reutilizáveis. Em Ponta Grossa o canudo reutilizável pode ser encontrado na Loja Goo Trip, que fica na Rua Francisco Ribas, 1395, esquina com Quintino Bocaiúva e no Phono Pub, localizado na Rua Balduíno Taques, 1334.

Material produzido para o Jornal Diário dos Campos, de Ponta Grossa – PR

Nós mudamos alguns hábitos de compra desde que resolvemos nos tornar consumidoras mais conscientes e listamos algumas coisas que paramos de comprar.

  1. ALIEXPRESS: era um hábito muito forte de comprar varias coisas no Aliexpress porque ser produto barato e importado. Mas o que nos levou parar de comprar? Percebemos que não sabíamos de onde surgiam as peças, como eram feitas, se eram feitas de forma justa. Pode ser que algumas lojas tenham um trabalho justo, não é o que muitos relatos da internet mostram. Então se a gente não conhece bem como as peças são feitas, preferimos evitar.
  2. PRODUTOS MUITO BARATOS: não vale a pena comprar algo apenas por estar muito barato, principalmente se a peça/calçado/acessório não tiver nada a ver com seu estilo e a qualidade não ser duradoura.
  3. TENDÊNCIA: apesar de gostarmos muito de acompanhar o que está em auge na moda, não compramos itens apenas por estarem em alta, se não tiverem a ver com o nosso estilo. Não tem por que comprar algo só por que está todo mundo usando, uma tendência passageira que não combina com seu estilo e que você vai acabar usando poucas vezes ou até ficar no fundo do armário.
  4. MARCAS QUE UTILIZAM TRABALHO ESCRAVO: infelizmente ainda tem muitas marcas em que ocorre o trabalho escravo, basta você pesquisar um pouco que já acha várias que são bem famosas e grandes. A gente prefere não contribuir com isso. O app Moda Livre ajuda a rastrear essas marcas.
  5. NÃO COMPRAR PRESENTE EM DATAS COMEMORATIVAS: é preferível dar algo mais sentimental e que você saiba que a pessoa vai realmente gostar do que vai receber. Não precisa comprar apenas por ser em data comemorativa, mas sim porque você acha que aquele presente tem a ver com a pessoa. Também optamos por comprar com produtores locais e incentivar o comércio da nossa cidade e região.