Archive

agosto 2018

Browsing

Estamos vivendo um novo momento de mudança de padrões de consumo. E por isso sempre incentivamos e mostramos novas alternativas para consumir especialmente do mercado da moda. Escolhemos a Mari Villaca, criadora do Muda Moda (@muda.moda), pra falar sobre seus novos hábitos, ela que era uma consumista assumida. Vamos ver o que ela disse?

Se quiser ver a entrevista completa é só ver o vídeo clicando aqui.

Porque você mudou seus hábitos de consumo?

MV: Um belo dia zapeando pelo Netflix caiu no meu colo o documentário The True Cost! Eu fiquei chocada com tanto tempo que eu havia contribuído sem saber para aquelas atrocidades acontecerem, e nunca mais comprei de lugares que eu não soubesse a procedência.

Qual foi sua primeira reação depois disso?

MV: Resolvi mudar meus hábitos, e depois de um tempo descobri o conceito do guarda-roupa compartilhado e criei o Muda Moda com esse objetivo.

Qual é a sua relação com o consumo de roupas hoje?

MV: Hoje em dia sou bem consciente mas minha vontade de comprar ainda me afeta. É uma abstinência mesmo, eu decido “só por hoje” não comprar nada desenfreadamente.

Tem alguma marca que você amava e hoje em dia não consome de jeito nenhum?

MV: A marca que eu mais me identifico é a Zara, acho o design e o corte das roupas perfeito, mas eu tenho ranço da Zara, eu acho que é uma das top 5 piores do mundo. E por isso quando eu vejo uma loja eu não passo nem perto pra não passar vontade.

Veja mais vídeos sobre esse e outros temas no canal do Desavesso no youtube.

Produtoras de conteúdo sobre moda consciente e sustentável em SP

Nós, do Desavesso, estivemos presentes no Fashion Futures em São Paulo no último fim de semana. O projeto faz parte das ações da campanha #VistaAMudança e mostra compromissos da C&A para uma moda com impacto positivo.

A C&A, marca global que busca oferecer produtos e experiências para conectar pessoas por meio da moda, lança sua mais nova ação em prol da sustentabilidade: o C&A Fashion Futures.

Com a produção de documentários, a realização de encontros e debates, a C&A convida o público – sobretudo o jovem, cada vez mais engajado e consciente sobre os impactos de suas ações no mundo – a refletir sobre o futuro da moda, e de que forma ela pode ser mais sustentável e consciente.

Como parte desse compromisso para uma moda mais sustentável, a C&A lançou, em 2018, a campanha global #VistaAMudança (#WearTheChange), que convida os clientes a participarem dessa jornada de construção de uma moda com impacto positivo.

E, para reforçar os compromissos da marca e abrir o debate ao público jovem, a C&A Brasil faz agora o lançamento do projeto Fashion Futures: um novo momento para repensar, debater e enxergar a moda de forma mais consciente. Olhar para dentro, para os lados e para frente. Esta é a intenção dos quatro ciclos que compõem o projeto C&A Fashion Futures.

O primeiro deles aconteceu no sábado, 18.08, na Praça das Artes (SP) – com o tema “Como ser mais transparente?” e questionou como a transparência influencia na relação entre as pessoas, a sociedade, e o planeta.

Os convidados desta edição foram Paulo Correa, CEO da C&A Brasil; Ronaldo Lemos, advogado, professor e um dos criadores do Marco Civil da Internet; Marina Colerato, criadora da Modefica, primeira plataforma de moda e comportamento transdisciplinar com foco em sustentabilidade; Luiza Brasil, jornalista de moda e criadora da plataforma Mequetrefismos. Além deles, um time de jovens criativos formado por Lidia Zuin, Paola Penna e Larissa Odrië (Ulevus) e Jaci Araújoembarcaram na conversa, que foi mediada por Giovanna Nader.

Para fechar o dia, as gêmeas Tasha e Tracie cuidaram do som e Xenia França fez pocket show especial para os convidados.

A cada ciclo, será lançado um episódio da série documental C&A Fashion Futures. Seus capítulos dialogam com os temas abordados pelos convidados e traz personagens com diferentes perspectivas, que ajudam a ampliar a discussão. Dirigida pelo jovem cineasta carioca Breno Moreira, a série narra a realidade de jovens que estão provocando mudanças, com transformações na indústria da moda.

A sustentabilidade faz parte do DNA da C&A

Desde 2009, a empresa vem empreendendo ações neste sentido e, em 2015, essas iniciativas foram estruturadas em três pilares de atuação: Produtos Sustentáveis, Rede de Fornecimento Sustentável e Vidas Sustentáveis, que dão forma à sua Plataforma Global de Sustentabilidade, com metas alinhadas ao negócio que vão até 2020.

As iniciativas da marca estão alinhadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, e, nos últimos cinco anos, o tema ganhou ainda mais relevância na companhia, e teve um aumento de 70% de investimento.

Nós nunca fomos acostumadas a comprar peças “caras” até que percebemos o real valor que elas tem e como elas nos ajudam a utilizar melhor nosso guarda-roupa sem gastar desnecessariamente por não comprar coisas que não vamos usar.

E esse é um debate interessante pra que a gente possa discutir alguns pontos. Alguns deles são:

  1. Nós realmente usamos as peças de roupa que compramos numa liquidação do tipo leve 3 pague 1 ou usamos apenas uma e as outras ficam sem usar no armário?
  2. Ao invés de comprar três peças de roupa que valem o mesmo valor de uma mais cara mas que tem maior durabilidade, design mais bacana e que condiz com os outros looks que possuímos em casa, a segunda opção valeria mais a pena?
  3. Nem toda marca cara é sustentável, mas será que marcas mais responsáveis não pagam melhor seus funcionários e usam material de melhor qualidade e portanto esse custo se reverte no preço que as roupas acabam valendo?

Claro que toda essa discussão vai depender do estilo de vida e da realidade de cada um. Por isso se você quer saber mais sobre esse tipo de assunto veja o vídeo completo.

A gente sabe que não é tão simples desapegar e se desfazer de peças do seu guarda-roupa. Mas desapegar é uma tarefa muito importante e aqui vão alguns motivos para você desapegar e tornar essa tarefa um pouco mais fácil:

Não tenha dó: Pense que você não vai descartar. Ela apenas terá um novo destino, um novo significado para outra pessoa.

Não pense no valor: Se você não quiser se desfazer pois o pagamento foi muito caro, esse apego material não é bom. Neste caso, tente vender.

Não confunda gostar com usar: Se você diz a seguinte frase: “eu não uso, mas acho tão bonita” essa peça não está sendo útil para você. Não tem por que ficar. As pessoas confundem gostar com usar.

Renova as energias: Desapegar e tirar do armário aquilo que você não usa mais renova as energias, não adianta ficar juntando poeira, energia parada não é algo bom.

Abre mais espaço: Desapegar abre espaço para novas possibilidades e até mesmo adotar novos estilos. E até abre mais espaço físico mesmo, pois você vai até enxergar melhor as peças que você tem.

Traz mais felicidade: Mantenha só o que te faz feliz, pegue uma peça e pergunte: “ela traz alegria para a minha vida?” Segundo a dica da Marie Kondo, do livro ‘A Mágica da Arrumação’, manter apenas coisas que te trazem felicidade fazem com que, de fato, sua vida tenha mais felicidade.

Não precisa fazer tudo em um dia: Para separar as suas peças, você não precisa fazer tudo em um dia. Se achar melhor, um dia mexa com calçados, no outro roupas de frio, no dia seguinte roupas de calor, e assim vai.

Fazer uma boa ação: Desapegar é uma ótima oportunidade de fazer uma boa ação. Imagina quantas pessoas você pode ajudar com essas peças que você não usa mais. Então separe peças para doação e doe para pessoas carentes ou entidades da sua cidade.

Acúmulo pode virar doença: Se você tem dificuldades de desapegar e realmente não consegue, cuidado, pois o acúmulo é algo sério e pode virar doença. Desapegar é necessário.

Para mais dicas de moda consciente, inscreva-se no canal Desavesso no YouTube.

Nós convidamos a Simone do canal Agridoce Cereja pra mostrar as peças jeans que ela já garimpou em bazares e brechós. Eu também mostrei os meus achados e a conclusão é a seguinte:

  • tem muita peça boa de jeans pra comprar em bazar e brechó
  • a maioria dos preços dessas peças são super acessíveis
  • jeans antigo é uma coisa que dura muito então pode comprar sem medo de ser feliz
  • todos eles tem história, é super legal ter esse tipo de peça diferenciada

Então vem conferir as nossas peças favoritas de brechó e bazar nesse vídeo que tá aqui lincado. E se você quiser mais informações sobre moda consciente e sustentável acompanhe o canal Desavesso no Youtube.

É muito importante pensar bem antes de comprar uma peça de roupa para não adquirir itens desnecessários. Mas tem várias dicas para você consumir de forma mais consciente e não se arrepender.

Anote as perguntas que você deve fazer a si mesmo antes de comprar:

Eu tenho pelo menos três ou quatro peças que e combinam com essa peça?

Se você acha que sim, ponto positivo para adquirir. Se não tem roupas que combinem, descarte a possibilidade da compra. Não pense na peça isolada, pois é assim que nos empolgamos e compramos peças que não combinam com nosso estilo.

Será que eu tenho alguma coisa parecida ou idêntica a essa em casa?

Se você tem, não tem porque comprar e ficar com várias roupas iguais.

Eu preciso mesmo disso?

É sempre bom se questionar se você realmente precisa disso. Porque às vezes você realmente precisa daquela vestimenta para usar no trabalho ou em alguma ocasião especial.

Essa peça tem a ver comigo?

É essencial você parar para refletir se essa peça tem a ver com você e com o seu estilo. Se não tiver a ver com você, não arrisque.

Eu estou comprando só porque está muito barato?

Questione-se se você não está querendo comprar uma peça só pelo valor mais barato, em uma liquidação, por exemplo. Repense se você realmente vai usar aquela peça, não se deixe levar apenas pelo preço.

É uma tendência passageira?

Será que não é uma peça apenas de tendência, que você vai usar uma ou duas vezes e depois não vai mais conseguir usar? Se a roupa combina com você e com outras peças que você já tem, aí sim, vale a pena comprar. Mas se for apenas uma tendência passageira, provavelmente é um item que vai ficar jogado no armário depois que ‘sair da moda’.

Dica bônus: sempre experimente!

Essa não é uma pergunta, mas vale lembrar. Nunca compre um produto antes de experimentar, mesmo que o traje esteja perfeito no manequim e seja do seu tamanho, apenas na hora que você experimenta é que você consegue ver como fica no corpo.

Moda consciente não é parar de comprar roupas, mas sim refletir antes de consumir. Pensando assim, você para de consumir desenfreadamente coisas que não tem a ver com sua personalidade, economiza e ainda reduz os impactos negativos do mundo da moda.

Para mais dicas de moda consciente, inscreva-se no canal Desavesso no YouTube.

Prazer! Nós somos Maria Fernanda Teixeira e Nicoly França, duas jornalistas apaixonadas por moda. Entendemos que a moda tem um papel fundamental na vida das pessoas, não é algo fútil, pelo contrário, tem tudo a ver com a nossa personalidade, identidade e autoestima. Por isso, nós falamos sobre moda de um jeito prático e simples, com dicas de como você aproveitar melhor o seu guarda-roupa e como consumir moda de uma forma mais consciente e saudável.

O nosso foco é incentivar a moda consciente e temos um canal no YouTube onde postamos dois vídeos por semana, com dicas e discussões em torno desse tema. Agora, é com muita honra que estreamos a coluna ‘Lado Avesso’ no Massa News, sendo as primeiras mulheres colunistas do portal. Traremos dois textos por semana com dicas, discussões e novidades relacionadas à moda.

O ato de se vestir pode ser mais do que uma simples vaidade, vai de mostrar quem você por dentro totalmente do lado de fora e nós vamos te ensinar como fazer isso sem gastar muito, usando as roupas que você já tem no seu guarda-roupa, comprando apenas peças que você precisa e que tem a ver com você e ainda sem prejudicar o meio ambiente e as pessoas ao seu redor. Vem com a gente!

O consumo consciente também atinge a moda e não significa parar de comprar, há diversas alternativas para consumir de maneira mais inteligente.

É possível praticar a moda consciente de diversas formas, mudando ou adquirindo algum novo hábito. Você não precisa parar de comprar, apenas refletirá mais na hora de consumir, e assim vai adquirir apenas peças, calçados e acessórios que tenham a ver com você, para evitar compras desnecessárias e ter em casa um armário prático,  inteligente e sustentável.

Se você está começando a pensar desta forma, no início pode parecer difícil, pois é uma prática que exige muita dedicação e força de vontade para se adaptar a esse estilo de vida. Mas é possível sim, através de pequenas atitudes, consumir de forma mais consciente.

Confira uma lista de alternativas para praticar a moda consciente:

Refletir sobre o consumo

O primeiro passo é repensar o consumo, isso já é uma atitude de moda consciente. Pensar antes de comprar, refletir se você realmente precisa daquela peça e se ela realmente tem a ver com você é essencial para você começar a mudar os hábitos de consumo.

Estilo próprio

Quanto mais você investe no seu estilo, menos você gasta com itens não têm a ver com você. Pois assim você não vai cair na tentação de tendências passageiras e novas coleções e só vai comprar peças que você realmente vai usar e aproveitar. Invista no autoconhecimento que você vai se descobrir e ainda gastar o seu dinheiro naquilo que realmente vale a pena.

Comprar de segunda mão

Uma prática barata e simples de consumo consciente é a compra de segunda mão. Os locais mais comuns para esse tipo de compra são em bazares e brechós. Existem diversos brechós físicos e também online onde você encontra peças incríveis, únicas, que possuem uma história, e o preço geralmente é mais barato que de peças novas. Ainda tem a opção de você garimpar em bazares beneficentes, esses mais ‘bagunçados’, de entidades e igrejas, por exemplo, onde as peças são muito baratas.

Não comprar só porque está muito barato

É claro que todo mundo ama pagar mais barato. Mas muita gente comete o erro de comprar coisas na empolgação só porque está muito barato. Não faça isso! Não compre só porque está na promoção. Só compre se a peça realmente tiver a ver com você e com seu estilo.

Produtor local

Compre de produtores e marcas locais, assim vocês faz com que a economia gire na sua cidade ou na sua região e essa prática incentiva os empreendedores do seu município. Slow fashion Invista em peças de qualidade com conceito de slow fashion, que ao contrário de fast fashion, são atemporais e de alta durabilidade.

Marcas sustentáveis

Invista em marcas sustentáveis, hoje em dia tem várias marcas que se preocupam com uma produção sustentável, sem prejuízos ao meio ambiente e com condições justas de trabalho para todos os envolvidos nos processos de feitio. Busque saber os processos de fabricação das marcas que você consome. Questione-se “quem faz minhas roupas?” e
pesquise sobre como as peças foram feitas.

Upcycling

Essa é uma prática muito interessante, onde você transforma materiais que seriam descartados em peças novas. Exemplo: usar tecidos que seriam descartados para fazer sapatos ou outras peças de roupa.

Customização

Transforme as peças customizando-as. Há milhares de tutoriais na internet (inclusive alguns no canal Desavesso) que te ensinam a transformar suas roupas com processos simples usando tesoura e cola de tecido, por exemplo. Assim você renova seu armário gastando muito pouco.

Mande fazer

Compre tecidos e mande fazer peças exclusivas com costureiras. Você terá peças únicas e também vai colaborar com profissionais de extrema importância para o ramo de vestuário.

Desapegue

Desapegue com frequência, faça uma limpa no guarda-roupa e elimine as peças que você não usa mais, não servem ou que não tenham mais a ver com você. Doe, faça uma boa ação. Você também pode organizar um bazar com amigas de desapego ou vender em grupos, páginas de redes sociais ou sites de venda de segunda mão, como Enjoei.

Trocar

É possível realizar trocas entre amigos e familiares. Além disso, também existem feiras de trocas, onde você pode desapegar de peças que não usa mais e levar para casa roupas incríveis sem gastar nada.

Material produzido para o Jornal Diário dos Campos, de Ponta Grossa – PR

Resolvi dividir com vocês por texto e por vídeo a maior dica de estilo que eu poderia dar pra alguém. Estão preparados? Então aí vai: copie. Isso mesmo! Copie, simplesmente isso.

Copie em primeiro lugar das peças que você já usou juntas e deram certo. Todas as vezes que você vestir uma combinação que fique muito boa fotografe ou anote em um caderno, a partir de então é só reproduzir a mesma lógica com roupas diferentes mas na mesma modelagem.

Outra ideia é copiar de outras pessoas, e aí vale todo mundo que você se identificar. Pode ser de fotos no Instagram e no Pinterest, vale ir salvando pra depois testar uma a uma, ou consultar em um dia sem inspiração. Vale ainda copiar de pessoas da rua, quando você vê e acha que tem a ver com vc guarde aquela imagem ou combinação na sua cabeça pra depois reproduzir.

Essa é uma dica que vale tanto pra aproveitar melhor o guarda-roupa com as peças que você já tem como para comprar roupas. Vá identificando as peças de roupa que você mais usa e gosta e invista em outras que tenha um mesmo formato, não idênticas, mas parecidas e que causem o mesmo efeito que você gosta.

Confira o vídeo com exemplos concretos e fotos lincado aqui no início do vídeo. E se essa dica der certo pra você conte pra gente nos comentários. Para mais dicas de moda inteligente acesse o Desavesso.